Boa parte da vida na Sova

Envolvido entre o trabalho, família e diversão, alguns fatos passam despercebidos. Hoje me toquei. No dia 22 de março a Sociedade Olímpica Venâncio Aires – SOVA – completa minha idade: 47 anos. Quando crianças e mesmo adolescentes, o tempo parece insistir em ser demorado. Ocupamos nossa mente, creio, de maneira correta, vivendo o presente e sonhando com futuro adulto recheado de realizações. Nessa minha fase da vida, a Sova era meu paradeiro preferido. As tardes, principalmente no verão, eram passadas junto a uma mesa de snooker, no campo de futebol, nas piscinas e o mais importante, na companhia de amigos. Nas noites de sábado, já na fase “aborrecente”, as Boates na Sovinha mereciam camisas floreadas novas e a tradicional “brim coringa”. Hoje, o tempo insiste em passar voando. Um ano dura bem menos que durava as férias de verão nos anos 70 e 80. Mas a vida é assim mesmo.
As vésperas de comemorar seus 47 anos, a Sova ocupa uma área nobre no centro de Venâncio Aires, sempre administrada por pessoas determinadas a levar adiante o projeto idealizado em 22 de março de 1963. Ainda novo, atendendo a convite do ex-presidente César Campos de Azevedo, comecei a fazer parte do Conselho Deliberativo, o qual já presidi e onde acompanho de perto toda a história da sociedade.
Com uma bela sede social, três piscinas, campo de futebol sete, canchas de tênis e ampla área verde, a Sova é ponto de referência em Venâncio Aires.
Saiba mais sobre a Sova. Acesse o site www.sova.com.br