No dia do amigo: “Loucos e Santos” por Oscar Wilde

“Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade” é uma ilusão imbecil e estéril.”

Oscar Wilde

45 lições

Para guardar, ler de vez em quando e focar em alguns itens, como o 4, 16, 20, 25, 31, 34, 41….
Escrito por Regina Brett, americana de Cleveland, Ohio.

Para celebrar o envelhecer, uma vez eu escrevi 45 lições que a vida me ensinou.

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3. A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato.
5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.
6. Você não tem que vencer todo argumento. Concorde para discordar.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele agüenta.
9. Poupe para a aposentadoria, começando com seu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.
11. Sele a paz com seu passado, para que ele não estrague seu presente.
12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que se trata a jornada deles.
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15 Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16. Respire bem fundo. Isso acalma a mente.
17. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.
18. O que não te mata, realmente te torna mais forte.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de você e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite “não” como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante; depois, se deixe levar pela maré…
23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade, além de você.
26. Encare cada “chamado” desastre com essas palavras: Em cinco anos, vai importar?
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todos.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Indepedentemente de a situação ser boa ou ruim, irá mudar.
32. Não se leve tão a sério. Ninguém mais leva…
33. Acredite em milagres.
34. Deus te ama por causa de quem Ele é, não pelo que vc fez ou deixou de fazer.
35. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela agora.
36. Envelhecer é melhor do que morrer jovem.
37. Seus filhos só têm uma infância.
38. Tudo o que realmente importa, no final, é que você amou.
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos jogássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, pegaríamos os nossos de volta.
41. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor está por vir.
43. Não importa como vc se sinta, levante, se vista e apareça.
44. Produza.
45. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente!

Para refletir: Pais e Filhos

A criação e a educação dos filhos nos dias atuais, sob um olhar superficial, parece ter mudado muito. “Nossas crianças não são as mesmas”, é o que mais ouvimos dizer. É claro, nem poderiam. Os pais também não são os mesmos. A sociedade não é a mesma. Existe um excesso de estímulos sem precedentes que o bebê recebe desde que está na barriga da mãe. Conversam com ele, colocam música para ele escutar, mamãe faz ioga, fisioterapia, psicoterapia…. Tudo muito bom!!!

Por outro lado, os casais de hoje optam por ter poucos filhos: um, dois, três no máximo. Muitas vezes concebidos depois de muitas tentativas por dificuldades orgânicas de mães com mais idade ou dificuldades psicológicas por estruturas muito consolidadas. Estes filhos ficaram muito preciosos. São os reizinhos que chegam em um castelo amplamente preparado e reinam absolutos nos dois primeiros anos. Diferente das famílias de nossos pais que a cada dois anos, nos traziam um irmão e este se incluía na dança familiar, conforme a música que estava tocando.

Porém, alguns dados do desenvolvimento infantil não podem perder sua importância e significado. Mesmo que a criança ao nascer, e nos três primeiros meses, necessite de cuidados intensivos e responsividade ao choro imediata e adequada, também é necessário que encontre uma “mãe suficientemente boa” que a conduza em direção à autonomia e a ajude gradativamente suportar as frustrações.

Na fase de desenvolvimento, que acontece por volta dos dois anos, a criança precisa abrir mão de seu estado narcisista de grandiosidade para perceber a presença do outro (primeiramente mãe e pai) que além de ser quem lhes proporciona as satisfações de suas necessidades, também têm necessidades próprias. Estas figuras, por sua vez, precisam ser fortes e consistentes para oferecer ao filho o suporte que ele precisa para continuar evoluindo. Com figuras adequadas a criança inicia seu processo de identificação onde, ao mesmo tempo em que adquire um senso de ser importante e único, projeta-se para um mundo adulto e separado dos pais, na busca daquilo que aos poucos determina como seus próprios ideais.

Quando isso não acontece, a estrutura psicológica não evolui e o resultado é uma pessoa fixada em suas necessidades, que não aceita “não”, que necessita receber constantemente gratificações externas, mesmo que para isso tenha que usar os outros. A sexualidade fica presa em um período pré-genital onde a busca do prazer não está dirigida ao outro como um parceiro complementar. O egocentrismo predomina e o respeito ao outro diminui, inclusive ao corpo do outro, ao que é ou não permitido fazer.

Apesar da simplicidade e superficialidade que cabe aqui, nestas observações, não podemos negar que estamos vivendo um período de transição. Se uma educação repressora com figuras paternas nítidas e lugar determinado para as crianças trouxe algumas repercussões negativas, quais as repercussões que poderão vir deste modelo que hoje se apresenta?

 * Texto assinado pela Psicóloga Clínica Daniela Graef, no jornal Folha do Mate, edição de 29 de junho de 2010

Para Refletir – Texto de Pablo Neruda

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo. Morre lentamente quem destrói o seu amor próprio, quem não se deixa ajudar. Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem não conhece. Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru. Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco, e os pontos sobre os ‘is’ em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho nos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos. Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos. Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva que cai incessante. Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe. Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar.

SOMENTE A PERSEVERANÇA FARÁ COM QUE CONQUISTEMOS UM ESTÁGIO ESPLÊNDIDO DE FELICIDADE.

Pablo Neruda

Escrever bem

“Oi Elton! Como tu também se interessa por jornalismo, envio abaixo um trecho muito interessante de um artigo que li, do Franklin Martins, sobre escrever bem. O texto na íntegra está no site dele (o link é http://www.franklinmartins.com.br/naestante_artigo.php?titulo=o-que-e-um-bom-texto-jornalistico).

Abaixo, um trecho que me chamou a atenção: “Um bom texto é fundamental no jornalismo. Jornalista que não escreve bem e não sabe usar as palavras é como o pintor que não sabe lidar com o pincel e as cores, ou a cozinheira que não tem intimidade com o fogão e os temperos, ou o jogador de futebol que não sabe usar os pés e dominar a bola. Ou seja, um bom texto é algo indispensável no jornalismo. Sem ele, não se pode exercer bem a profissão. Jornalista que não escreve bem, no máximo, é um profissional capenga. (…) A Cabala, um ramo místico do judaísmo, acreditava que cada uma das vinte e duas letras do alfabeto hebraico era um anjo. Assim, a palavra escrita nada mais seria do que uma determinada reunião de anjos, e um livro só nos emocionaria e nos diria algo se os anjos, reunidos de uma determinada forma, nos falassem através dele. O bom texto, portanto, seria fruto de uma mágica, de um milagre, enquanto, no mau texto, os anjos não se entenderiam, brigariam entre si. Por isso, não chegariam à alma do leitor.” Abraço

ROZANA ELLWANGER

Colaboração de Susanita Haas

Uma ótima páscoa!

O TEMPO

mario

‘A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.

Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.

Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.

Desta forma, eu digo:   Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo, ou por medo….

A única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais.’

Mário Quintana

“Quem não entende um olhar,
muito menos entenderá uma longa explicação..”
(Provérbio Árabe)