11 comentários em “O ponto de táxi tradicional de Venâncio”

  1. Quero saber agora: quem são os motoristas? Mano: tu sabe?
    Beijos e bom final de semana a todos que já me fui prá Porto e até segunda.

  2. Este daí já são muito novos, he,he,he…
    Mas dá prá ver o Gringo, o Inácio Hickmann, o Seu Olmiro Laggemann entre outros.
    É que sou do tempo dos ‘choffer’. Lembro do Tio Crespo, do Níssia, do Vilmar Frólio, do Seu Kreulich (pai do Rogério), que infelizmente já se foram.
    Estes sim, Tuchê, participaram da capa do Village People em 1978.
    Sobre as placas, tinham outras também: QL, QJ…
    Abçs.

  3. Na foto, o primeiro é o Wonibaldo Kist(falecido a pouco), depois Alciro Tieppo(Gringo-falecido), após o Klafke(continua ativo). Mas nestas lembrança esqueceram do Sr Olivério Stagemeier, que além de taxista era um excelente saxsofonista.

  4. Que viagem… Seu Crespo, Nissia, Pitica, Stagemmaier. Eles que nos levavam pros bailes no Gigante da Travessa.

  5. Bhã, esqueci do Seu Torres, nosso vizinho da Félix da Cunha, com seu ‘Zé do Caixão’ ou ‘saboneteira’ (assim era chamado o Fusca 4 portas).
    O Seu Torres além de choffer de táxi com ponto em frente ao Restaurante Smidt (do Véio Eloi e da Lelinha), também fazia as vezes como motorista do ‘camburão’ da Brigada Militar, aquela Willis F-75 que muitas vezes empurramos para que funcionasse, para, daí sim irmos para a Delegacia vizitar o Inspetor Bangel…
    Nossa, que viagem.
    Abçs.
    * Não lembra do VW 1600 Quatro Portas “Zé do Caixão”… Clique aqui: http://oficinavw.blogspot.com/2009/02/derivado-dos-typ-3-alemaes-mais.html

  6. Não para esquecer, do “Zé Nazario” ,com seu Simca
    Chambor – Azul “pia”, pai do Zé cebola, Clóvis…
    Quando saía um espetinho sexta-feira, ele dizia
    pro Clóvis : ô meu fio, vai alí no bar do “brandemberg”
    e me trais uma garrafinha de “undemburg…
    Ele tinha como “conselheiros” para seus negócios, a
    dupla – Abrão e João Bofe.

  7. O Pitica é irmão da minha avó Antonieta Hermes, Ilha de casa, mãe da minha mama Leny e da tia Marly, esposa do Heron do Gaúcho, mãe do Tonho e do Téti.

  8. Nossa, foi uma viagem e tanto…
    Que bom lembrar destes “choffer” ou motorista
    de carro de praça, como eram chamados.
    Só uma curiosidade, esta foto é do tempo que
    o Tio Patinhas tinha seu carrinho de cachorro-quente
    por ali ???????????

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.