7 comentários em “Na Praça Evangélica”

  1. É isso aí Zuca, é o nosso amigo Dionísio “Chiquinho” Guterres Simões, que na época trabalhava como agrimensor, e o saudoso engenheiro civil Clacyr José Marquetto (já falecido) que na época também trabalhava na Prefeitura Municipal de Venâncio Aires.
    O ano é 1979, pois trabalhei como desenhista com os dois lá na Prefa, e esta medição, alí uma vez, no meio da pracinha, acho que foi só para tirar a foto. O Prefeito era o Sr. Alfredo Scherer.
    Mas o Chiquinho poderá esclarecer melhor, se era um novo encanamento, construção do novo sanitário, cercado ou algo assim.
    Bela recordação, principalmente da Igreja Evangélica, palco de muitas das nossas noites de bike, skate e patins.

    Abraços,

    Mano Mylius

  2. Essa é do tempo que GPS só tinha em filme de ficção. Era tudo no teodolito, trena e no olho mesmo.
    Aliás, esse foi daquelas ‘modernisses’ de décadas passadas que nos tiraram marcos e patrimônios históricos. Não terem mantido toda ou parte da igreja antiga no novo projeto, como fazem em muitos lugares, foi uma mancada na minha opinião.

    Essa é do tempo que GPS só tinha em filme de ficção. Era tudo no teodolito, trena e no olho mesmo.
    Aliás, esse foi daquelas ‘modernisses’ de décadas passadas que nos tiraram marcos e patrimônios históricos. Não terem mantido toda ou parte da igreja antiga no novo projeto, como fazem em muitos lugares, foi uma mancada na minha opinião.

  3. Que resgate histórico!

    Não tinha visto ainda uma foto desta Igreja antiga.

    Que mancada mesmo não preservar a original.

    Enfim…

    Bjos, Elton.

  4. Caro Gilson, não te conheço pessoalmente, mas devo dizer que algumas pessoas mobilizaram-se, na época, não lembro bem, pois eu era muito jovem e costumava brincar com nossa querida professora do Jardim, Dona Elsa Fiss, embaixo daquela árvore que está à esquerda da Igreja. Mas também recordo de que mesmo sendo criança ou mesmo quase uma adolescente quando a demolição se deu, brigamos muito, enfim, éramos da geração que fez o 1º grau em tempos de ditadura e viu passar a abertura com uma certa perplexidade, de quem não sabe muito bem o que vai acontecer…
    Patrícia

  5. É o Chiquinho, meu tio…..putz….como ele era novinho e magro!!!!!!Meu Deus. Eu tenho esta foto em casa, dele e do Clacyr. Trabalharam muitíssimo tempo juntos. Que legal!!!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.